sábado, 28 de junho de 2014

Nürnberg

Pra começar do começo: Nuremberg. Essa é a cidade da qual eu vou falar a maior parte do tempo e mostrar milhões de fotos. Merecidas.








Logo que cheguei aqui, não fiquei muito impressionada. De primeira achei muito cinza e bege, muito quadrada e sem sal, tudo meio anos 70, tenho que admitir. Cheguei até a desencorajar uma amiga de vir pra cá, achando que ela ia detestar aqui, e sugerir que a gente se encontrasse em algum outro país ou cidade. (!)



A cidade cinza e tediosamente quadrada, mas que depois foi mostrando que tinha algo mais...

Mas aí... eu conheci a Altstadt (a "cidade velha"), e que é bem velha mesmo, por sinal. Visitei o castelo (Kaiserburg) depois de um bom tempo só, mas ver as muralhas da cidade já mudou totalmente o meu conceito. Conheci o Tiergarten Nürnberg (o zoológico), que é lindo dentro de um estilo tão simples, mas tão ótimo... e depois os lugares históricos, desde as prisões medievais embaixo da prefeitura, até os lugares relacionados ao nazismo, o Doku Zentrum (uma mistura de museu com centro informativo que explica como o nazismo começou e cresceu, tomando as proporções que tomou, muitíssimo interessante e importante, ainda faço um post só sobre ele!), a Handwerkhof ("vila do artesanato"), as lojas, os Biergartens, e fui vendo que não só a cidade não é sem sal, como é espetacularmente cheia de detalhes, histórias e surpresas. Das pontes de cartão postal ao tiozinho que leva os turistas pra tours na bicicleta (ou rickshaw, tipo "carroça" ou "carruagem") e que se chama nada menos que Erick-shaw (rá!), fui me acostumando com tudo e aprendi a gostar desse lugar como se fosse meu. E ele é, de certa forma. 

Nuremberg é essa cidade delimitada pela linha vermelha tracejada; a cidade velha, ou Altstadt, é essa porção central da cidade, cercada pelas muralhas do período medieval




Parte da antiga muralha




Por dentro da muralha




Vilinha do castelo


Em alguma parte em volta do castelo



Dentro do Tiergarten Nürnberg, o zoológico onde fiz meu estágio





Subida em direção ao castelo (Kaiserburg)



O Castelo Imperial (Kaiserburg)


Entrada de um restaurante no coração da Altstadt, que fica em um dos "porões" onde se fazia cerveja, mais ou menos como os que se vê na Berg de Erlangen



Na Handwerkhof ("vila do artesanato")



Hauptmarkt, no centro da Altstadt



Fonte que sempre me faz sentir estando em Mordor

Além de gostar da cidade por todas essas coisas, ainda tem um fato que até hoje me impressiona, mesmo que eu esteja andando no centro só pra comprar algum cacareco: é impossível pra mim, até hoje, andar por aqui sem lembrar que essa parte da cidade foi aproximadamente 90% destruída durante a Segunda Guerra Mundial. Noventa. por cento. Só não foi mais destruída do que Dresden. Os aliados bombardearam com gosto uma das cidades mais importantes do regime nazista, e o que sobrou foram só as carcaças de alguns prédios. Até o que parecia estar de pé, normalmente eram só ruínas das paredes, dentro estava tudo destruído. E aí vem a parte que inspira respeito: em poucos anos, ela foi totalmente reconstruída, praticamente igual ao que era antes. Cinco anos depois acontecia já pela primeira vez uma das feiras mais importantes daqui, a Nürnberger Spielwarenmesse (Feira Internacional de Brinquedos). 10 anos depois, inauguraram o aeroporto. 22 anos depois, inaugurou-se o metrô. 

Comparando o "antes e depois" (na torre do castelo, dá pra ver fotos do "antes" e comparar com a cidade de hoje em dia, na mesma vista, no mesmo ângulo, já que as fotos do antes também foram tiradas na mesma torre) quase não se vê a diferença nas construções: tá tudo lá, prédio por prédio, igreja por igreja.



 

Fotos de "antes e depois", vistas na torre


Não vou me aprofundar muito mais em dados, porque né, a Wikipedia taí pra isso. Nem muito nos detalhes históricos, porque cada período tem MUITA história: a cidade existe ao menos desde 1050, teve suas muralhas construídas na Idade Média, foi uma das cidades mais importantes do Sacro Império Romano-Germânico (tendo até guardado as jóias ou insígnias imperiais, que tiveram réplicas e originais mostradas numa exibição ano passado no castelo), abrigou artistas, inventores e cientistas importantes no Renascimento, foi um dos palcos da ascensão do regime Nacional Socialista (tanto que chegou a ser nomeada a sede oficial dos Comícios do Partido Nazi), depois foi onde os líderes nazistas foram julgados e condenados (nos julgamentos de Nuremberg), e hoje é a Cidade da Paz e dos Direitos Humanos, condição imposta por si própria pra afirmar sua total oposição ao totalitarismo nazista. 



Panorama da cidade de Nuremberg, de 1490, que não necessariamente corresponde a realidade
(fonte: http://www.historic-maps.de/stadtansichten-panoramen/stadtansichten-1490/index.htm)

Mapa da cidade, de 1650
(fonte: http://www.historic-maps.de/rahmen.htm?http://www.historic-maps.de/stadtansichten-panoramen/stadtansichten-1650/galerie/pages/Nuernberg%201650.htm)




Cartaz da exposição sobre o castelo e a cidade na época do Império, onde se pode ver réplicas e originais das jóias e insígnias imperiais



 

Eu com o cara: Albrecht Dürer, um dos pintores importantes do Renascimento, e que nasceu (1471), viveu e morreu (1528) em Nuremberg, tendo sua casa ainda preservada e aberta à visitação - por sorte, uma das poucas construções que sobreviveram aos bombardeios no final da Segunda Guerra



A mesma parte da cidade hoje e na época do Nacional Socialismo (repare nas bandeiras estendidas nos prédios... creepy)



Ruínas de um dos projetos arquitetônicos megalomaníacos do regime Nazista, onde ocorriam os desfiles militares e do partido - Reichsparteigelände. É um local imenso, que dá uma noção do que o regime representava e pretendia na época. Foi destruído pra que não se torne um local de peregrinação pra neonazistas, mas foi mantido em ruínas, pra que não se esqueça e não se deixe repetir nunca mais





Sala onde ocorreu o julgamento de Nuremberg, que julgou e condenou vários líderes nazistas



Caminho dos Direitos Humanos (essa foto é do Google, logo mais troco por uma minha! sorry!)

Eu falei que não ia me aprofundar nos detalhes históricos... mas acredite, isso é uma visão BEM por cima. Só citei tudo isso porque é impossível falar daqui sem falar de história, mas ainda tem muito mais. (Depois vou falando de cada coisa em posts separados, que os assuntos rendem!)

Bom, aqui ainda rolam várias feiras internacionais importantes (Messe), além dessa do Brinquedo, que acho que é a maior. Tem muitos eventos tradicionais (líssississimos), aqui e nas cidades em volta, tipo as Volksfest ("festa popular"; na prática, lembra um pouco a nossa quermesse), onde não raro as moças e rapazes vão de dirndl e tracht, aquelas "roupinhas de alemão"; a Altstadtfest; a Berg (uma Volksfest que é em Erlangen na verdade, focada em cerveja, com as cervejarias em porões dentro da montanha ("berg"), que existem há séculos no mesmo lugar, literalmente); a famosa Feira de Natal, etc. Também acontecem festivais como o Rock im Park e outros eventos menores, como o Bardentreffen ("encontro de bardos", que existe deste 1976 e aí tem bandas e artistas por toda a cidade) e a Blaue Nacht ("noite azul"), e vez por outra também aparecem umas intervenções artísticas soltas pela cidade, como esse pessoalzinho do Star Wars que apareceu tricotado nos postes um tempo atrás:










Museu é o que não falta, desde os mini-minis (tipo o do âmbar), passando pelos médios e bem resolvidos (tipo o do brinquedo), até o imenso Museu Nacional Germânico (Germanisches Nationalmuseum). Igrejas tem um tanto também, bem diferentes umas das outras. Tem as pontes com o rio, e o Hauptmarkt (praça central) com a torrezinha dourada (Schöner Brunnen, "fonte bonita"), que aparecem em 99% dos cartões postais daqui. Restaurantes, bares, lanchonetes, lojas carésimas e baratas, lojas de arte, o maior cinema IMAX da Europa (tem trocentas salas, e uma delas fica a 7 andares subterrâneos (!!!)), enfim... a Altstadt tem um pouquinho de tudo. Mas um pouquinho mesmo, já que em aproximadamente uma hora você conseguir percorrer a pé toda essa parte da cidade. 





 Frauenkirche e a Schöner Brunnen no Hauptmarkt (praça central), um dos mais famosos cartões postais de Nuremberg



Lorenzkirche, a minha queridinha <3


Apresentação de um grupo de capoeira em frente à Lorenzkirche





Dentro do Museu Germânico


"Quadras" na área em que ocorre a Altstadtfest todo ano, e onde montam a praia artificial (Sommerstrand) no verão

E tem hora que ela é só a cidade em que eu moro mesmo, com ruas bonitinhas, flores na primavera ou neve e muito cinza no inverno, uns parques, umas praças, uns supermercados, umas repartições públicas pra resolver xabu. Assim é bom também.






E pra não deixar de dizer, além da Altstadt, Nuremberg ainda tem mais cidade em volta: mais moderna, maior, como uma cidade grande que a gente conhece mesmo; avenidonas, prédios, umas áreas industriais, outras residenciais, um estádio, umas áreas verdes, uns lagos, umas florestas. 


 

Falei muito, mas isso é só pra dar uma apresentada geral. Nuremberg tem coisa pra conhecer em cada esquina, dependendo do seu grau de interesse em coisas aleatórias (que eu tenho bem alto!). Cada pedaço desse eu vou mostrando depois, com fotos e contando mais detalhes, na falta de poder levar cada um pra uma caminhada pela Alstadt ou numa bike-tour com o Erick-shaw.






Liebe Grüße aus Nürnberg,

Annie

Pra se sentir um pouco dentro da Alstadt, aqui tem uma visão 360º de dentro da Handwerkhof: http://p360.nuernberg.de/handwerkerhof/ e aqui, do mirante do castelo, de onde se tem uma vista INCRÍVEL da cidade: http://p360.nuernberg.de/handwerkerhof/

Um comentário:

  1. Eu com certeza quero conhecer, fiquei mais curiosa ainda!

    ResponderExcluir