quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Dicas de viagem - Parte 1


Existem muitas dicas EXCELENTES de viagem na internet afora, já aprendi muita coisa que salvou a vida em blogs e afins. (A primeira dica, aliás, é essa. Procurar dicas de viagem específicas pro lugar que você vai em blogs, onde pessoas como você contam as experiências, o que foi bom levar e o que fez falta, como era o hotel, os lugares pra comer, como ir de um lugar pra outro, etc... pode ser muito mais válido que só ver sites mais "institucionais".)

Aqui eu vou colocar um pouco das minhas próprias dicas, baseadas nas coisas que eu me lasquei em viagens fui percebendo ao viajar por aqui. Pode ser que nem tudo se encaixe no seu tipo de viagem, ou no seu estilo de viajar, pois isso varia muito de pessoa pra pessoa... Mas são coisas que, ao meu ver, são úteis pensar sobre, pelo menos, antes de botar o pé nesse mundão e se aventurar por aí.

Aí vão as primeiras:



1. Imprima passagens, comprovantes de agendamento, google maps com o caminho/transporte pro hotel, tudo que você puder.

Pode vir a ser desnecessário, mas pode te salvar de muito stress. O hotel pode não encontrar sua reserva ou ter alguma coisa errada, a cópia ou e-mail de confirmação da passagem pode te ajudar caso você perca o bilhete ou precise olhar o número da plataforma do trem correndo, etc. Uma cópia do passaporte também pode ser muito útil, caso você o perca ou seja roubado.

- Também pode ser útil anotar num papel o número de celular de algum familiar, um amigo ou namorado, que podem te salvar caso seu celular, sei lá, seja perdido, roubado ou caia no rio (oi pai, sua câmera manda lembranças!) e com ele afundem todos os seus contatos, seu google maps com GPS e afins (essa especialmente se você viajar sozinha).  Se isso acontecer, você geralmente resolve grande parte dos problemas num internet café, mas nem sempre é tão fácil assim encontrar um (lembre-se, seu GPS com google maps se foi), e ter pra quem poder ligar é sempre uma segurança.






2. Não confie que seu smartphone vai funcionar, vai ter bateria, sua internet vai pegar e tudo mais, sempre que você precisar. Essas coisas tecnológicas tendem a ser imprevisíveis em viagens.


Broken Phone


- Não esqueça carregadores (e adaptadores, se for o caso!) - escova de dente e roupas de baixo podem ser fáceis de encontrar pra comprar caso você esquecer, mas carregador pode dar uma bela dor de cabeça, especialmente se você contar com o celular/notebook pra alguma coisa essencial. Se isso acontecer e você estiver num hostel/hotel, pode perguntar na recepção se eles não tem algum compatível com o seu aparelho, ou pra algum colega de quarto (mesmo que desconhecido). De preferência, não esqueça.

Phone Charger        Travel Adaptor



3. Câmera fotográfica

Ok, isso você já sabe. Mas não esqueça: pilhas reservas, ou bateria e carregador, e cartão de memória com espaço suficiente. Nada mais frustrante que estar naquele lugar in-crí-vel, e perceber que o cartão está cheio ou sua pilha acabou (sim, já aconteceu comigo, e várias vezes :P)


Digital Camera 2   




4. Sacolas plásticas

Tenha sempre, tenha muitas! Elas servirão, entre outras coisas que você vai inventar nas horas em que a necessidade surgir: 

- Pra você ter onde por sua roupa seca no banheiro, enquanto você toma banho, caso não tenha nenhum lugar pra apoiá-las - geralmente, por mais mequetrefe que seja a sua hospedagem, lugar pra pendurar tem

- Pra organizar suas coisas, deixando separado alguma coisa que precise quando você quiser agilizar as coisas pro dia seguinte, ou pra um momento específico

- Pra por roupa suja

- Pra por roupa ou toalha molhada, se não der tempo de secar (se você tiver que tomar banho tarde e tiver um trem pra pegar muito cedo no dia seguinte, por exemplo)

- Pra por tênis, sapatos e afins dentro da mala, sem sujar o resto

- Pra você por em volta do pé (por cima da meia, mas por dentro do tênis, pra não ficar estranho) em caso de muita chuva, já que pé seco e camiseta seca são as coisas mais importantes nessas horas, principalmente pra não pegar um resfriado (fonte: todas as avós e mães). Em caso de chuva, aliás, o que eu costumo ter como essencial é uma jaqueta resistente à água e uma bota impermeável (ou essa técnica aí do saquinho, se o calçado for tênis). O resto é aguentável.



- Pra forrar algum lugar que esteja sujo ou molhado - desde sentar ou por sua mochila no chão na rua, até pra apoiar sua necessaire na pia do hostel.

- Pra amarrar alguma coisa/ fazer alguma gambiarra, se precisar.

Quando a viagem é mais roots, acampar, andar longas distâncias, etc. e a mala for mochilão, eu inclusive recomendaria colocar tudo em sacolas plásticas, pro caso de chover no caminho ou entrar água na barraca. Mas hoje em dia se acha capas de chuva pra mochilão boas, bonitas e baratas sem muita dificuldade, então, não é tão necessário.


5. Tente descobrir com antecedência onde é o centro de informações turísticas do lugar 

É bom dar uma passada lá assim que chegar, ou assim que possível. Saber quais os principais pontos a visitar, os horários de funcionamento, se precisa agendar, etc, é sempre útil pra se planejar melhor. Existem lugares que é necessário fazer alguma reserva ou alguma coisa com antecedência, então não deixe de se informar sobre isso pros lugares que você mais quer visitar. Eles também vão te falar caso alguma coisa esteja fechada pra reforma, tal.

Lá geralmente você também pode conseguir um mapa da cidade com os highlights e um mapa do transporte público (importantíssimo! Vai tentar andar de metrô em Praga sem um mapinha, com tudo escrito em tcheco... uff). 


(foto: Google maps)

                   


* Informe-se sempre sobre horários de funcionamento dos locais que quer visitar - é muito frustrante deixar de ver alguma coisa porque você não atentou que naquele dia, fechava um pouco mais cedo. Aqui em Nuremberg muitas coisas tem uns horários loucos, tipo cada dia da semana tem um horário de funcionamento diferente... Pode acontecer. E também se tem horários diferentes no verão e no inverno (isso sempre, por aqui!), se tem algum período do ano que não abre at all, tal.


(foto)



6. Informe-se sobre os tipos de tour disponíveis, e se tem Free Tour

Pegar um city tour pode ser muito bom pra descobrir onde ficam os highlights da cidade, e também descobrir a história do lugar e algumas curiosidades. Provavelmente muitas coisas passarão desapercebidas se você andar por conta própria, e portanto você verá muito menos graça no lugar, sem alguém pra te contar essas coisas. 

Porém, existem vários tipos de tour - de 1 hora ou de várias horas, dentro de um onibinhos, com um ônibus mas fazendo paradas pra descer e conhecer cada lugar, de barco, conhecendo a cidade inteira ou só roteiros divididos por tema, etc. E cada tipo tem um preço, também. Tente descobrir com antecedência sobre as tours disponíveis, ou onde você pode encontrar essas informações estando já na cidade. Aí você pode decidir qual o melhor pra você, e não perder o horário (e ter que ficar esperando a próxima, perdendo seu precioso tempo de viagem!) por bobeira.

Em muitos lugares existe a possibilidade de Free Tour (que não é bem free, já que é justo que no final você pague uma quantia ao guia, ainda que seja a que você considerar adequada). Elas costumam ser bem legais e geralmente tem opção em inglês ou espanhol. 

E você, tem alguma dica? Já passou algum aperto em viagem? Me conta aí nos comentários!

Gute Reise!

! Extra - Como compactar (e já deixar separadinha) uma muda de roupa:


fonte: facebook

(fotos: freeimages.com / fontes citadas logo abaixo da foto / arquivo pessoal)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget